Quem foi Dom Ávila

Waldir de Ávila nasceu em 10 de abril de 1929, na cidade de Datas, MG.  Era filho de uma família católica, de nove irmãos.

Logo nos primeiros meses de vida, uma grave doença atingiu o pequeno Waldir, e os pais, católicos fervorosos, recorreram a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e a São Geraldo, prometendo colocá-lo no seminário caso fosse curado. A cura veio e a criança, então batizada como “Geraldo” como gratidão pela graça alcançada, cresceu saudável.

Aos cinco anos de idade, o pequeno Geraldo brincava de celebrar missas para os seus irmãos menores. Com menos de 12 anos de idade, entrou para o Seminário de Diamantina. Com 24 anos de idade foi ordenado sacerdote.

A festa do Divino Espírito Santo, tradição na região em que morava, permaneceu em sua memória e em seu coração. Nascido na Paróquia do Espírito Santo, tomou o nome para si, passando a ser conhecido e assinando documentos como: Padre Geraldo do Espírito Santo Ávila.

Como sacerdote, o padre Ávila foi nomeado vigário da cidade de Guanhães, MG, próximo de sua terra natal. Mais tarde foi para Brasília, sendo nomeado Vigário-Geral da Arquidiocese de Brasília.

Em 1971, por seus méritos e evidentes realizações, o padre Ávila recebeu, do Santo Padre, o título de Monsenhor.

O agora Monsenhor Ávila, profundamente identificado com os pobres, principalmente os da Vila Planalto, criou a “Sopa de São Francisco de Assis”, que distribuía refeições aos mais necessitados. Ainda nos dias de hoje, sob o nome de “Fraternidade Pastoral de Maria – Casa da Sopa”, a pastoral criada na década de 80 distribui refeições aos que vivem em regiões de absoluta pobreza.

Além de sua dedicação aos pobres, D. Ávila construiu em Brasília a Catedral Militar Rainha da Paz e o Santuário da Mãe e Rainha Três Vezes Admirável de Schoenstatt.

Aos 48 anos, Monsenhor Ávila foi sagrado Bispo Auxiliar de Brasília, diante de verdadeira multidão de fiéis.

Dom Ávila permaneceu como Bispo Auxiliar de Brasília até o dia 31 de outubro de 1990, quando o Papa João Paulo II o nomeou Ordinariado Militar do Brasil, missão que cumpriu incansavelmente realizando visitas pastorais, ministrando sacramentos e proferindo palestras.

Como arcebispo militar, sempre esteve junto de seus padres, trabalhando na evangelização, através das pastorais, dentro dos quartéis, com os militares e suas famílias.

De personalidade carismática e jeito simples de ser, D. Ávila ajudou a difundir a fé católica, construiu igrejas, capelas e estimulou a construção de escolas.

Sendo Arcebispo Militar, levou consigo o exemplo de João Paulo II, que era filho de militar. Seu posto ficava no Ministério da Defesa, na Cúria, onde existe também uma Catedral, mas sua diocese era o Brasil todo. Tanto é que realizou cerca de mil e quatrocentas viagens por todo o país.

Dom Ávila fundou, em Brasília, o “Movimento Encontro do Pastoreiro Militar” e a “Pastoral dos Mendigos de Rua”, além de ter sido Administrador Apostólico do "Sede Plena" de Ipameri, GO entre 1996-1999.

Tem como obras publicadas: "Oração da Paróquia", 1971 e "Você em Oração" com 300.000 exemplares em 9 edições, de 1975.

Dom Geraldo do Espírito Santo Ávila, o Arcebispo Militar do Brasil, morreu aos 76 anos na manhã do dia 14 de novembro de 2005, nos aposentos de sua residência, em Brasília, dizendo: “A MORTE É O MERGULHO DA CRIATURA NO SEU CRIADOR. HAVERÁ DIA MAIS LINDO DO QUE ESTE?".

Dom Ávila morreu após sofrer e lutar cinco meses com um câncer localizado.

CADASTRE-SE
LOCALIZAÇÃO

(19) 97132-2308

 

Rua Ministro Oscar Saraiva, 180, apto. 73, Jd. Paineiras

CEP 13092-342, Campinas, SP

CNPJ 09.419.071/0001-06

 

contato@aasda.org.br

© 2018 por AASDA todos os direitos reservados

Desenvolvido por